Amigos

Uns afastam-se enquanto outros se aproximam…
Nos momentos de aflição só os fortes permanecem,
só esses compreendem o que sentimos,
só esses sabem como lidar com os problemas…
Muitos fogem quando a realidade é dura
Outros fogem porque não suportam sonhar…
Eu por cá fico à espera
de ver os que partem e os que não arredam pé,
Os que não nos deixam ficar sós e os que não tem estomago para aguentar…
A vida é mesmo assim, não é facil…
Mas amigos são mesmo para isso,
Para colorir os momentos cinzentos
E fazer-nos acreditar que sonhar não é perda de tempo,
Esses amigos sei exactamente quem são
E com o passar do tempo tudo permanece igual
Estando pouco ou mais tempo com cada um,
Pois aquilo que define estas amizades
Não é o tempo mas sim o sentimento

Posso não ter tudo, mas enquanto tiver amigos verdadeiros a vida há-de sempre sorrir-me.

Advertisements

Palavras…

Este som ritmado da chuva a bater na janela, trocava-o pelo som da tua voz para que por uma ultima vez conseguisse sentir o meu coração abrandar à medida que conversas comigo…ilude-me, convence-me e preenche-me de sonhos que nunca vais cumprir pois apesar de eu saber que não passam de meras promessas durante momentos eu fico calma…
Por instantes eu acredito que neste mundo existe alguém com a capacidade de melhorar o meu dia nem que seja por pequenos e simples momentos com humildes palavras de carinho, nesses momentos fecho os olhos mas mais tarde ou mais cedo quando os abrir a tempestade já passou, e a chuva deixou de cair assim como as tuas palavras deixaram de existir…

Ser Eu

Afasto-me de tudo o que me faz mal, de tudo que me faz retroceder.

 

Entro em paz comigo mesma, tiro todo este peso de mim, todo aquele buraco negro no meu coração.

Toda aquela loucura, e obsessão pelo que não posso ter. Estou a reconstruir-me.

Faço-me ser o que eu sempre quis ser.

Desprendo-me daquilo que ainda me prende. Daquilo que ainda me retém.

Deixo de ser mais tu, para ser mais eu.

É isso… Sou apenas pelo simples facto de me deixar ser sem ti.

Hoje…

Hoje olho para mim e noto algo diferente, apenas eu o vejo, pois apenas eu me conheço…
Apenas eu sei o quanto me custa dar um passo numa direção diferente,
Fazer algo que não consta na minha rotina…

Só eu sei o quanto me dói
Ter de olhar alguém nos olhos e ser sincera…

Sei que isso é o mais correto!
Mas…são tantas as vezes que não me sinto preparada o suficiente para aguentar as respostas à minha sinceridade…

Medo, talvez o meu maior inimigo desde que me lembro.

Sempre usei uma fachada para esconder e fingir que sou forte (mas a mim não me consigo enganar…)
Por isso percebi que tenho que enfrentar todos os meus medos(!),
Tudo o que temi até hoje, tem de ficar para trás para que eu consiga (finalmente) crescer como mereço,
Dar um passo não numa direção diferente, mas sim na direção correta…

Hoje preciso de olhar nos olhos de quem se preocupa comigo e ser eu mesma,
Dizer o que penso e o que sinto, mesmo que a resposta não seja o que espero tenho de tentar…
Nem sempre a vida é justa e terei de aprender a lidar com isso.

Quem se preocupa merece a minha sinceridade e frontalidade!

(Eu) Preciso de sair de um mundo de fantasia, assentar os pés na terra… – realidade assusta mas compensa!

Hoje sinto que as ultimas semanas fizeram todo o sentido,
Tantas foram as noites que passei em branco a pensar no que podia melhorar em mim..
É um processo (muito) demorado, mas o primeiro passo é descobrir o que nos falta para sermos melhores…
Hoje sei o que me falta, amanhã sei que vou descobrir mais (um dia de cada vez…)

Mas…

Fico-me pelo hoje,
Hoje vou pensar, entender e realizar…
Amanhã é outro dia, e com o nascer do sol novas ideias virão!

E a cada dia que passa vou crescer mais um pouco
Na direção que preciso e não na direção que me conforta…

Chega de viver no conforto,
Chega de fugir aos problemas que não posso resolver…
Para mim chega!

Vou respirar fundo e encontrar a força que sei que tenho e que aos poucos vou descobrindo…
Este muro que me tapa, um dia vai cair…

Quando tal acontecer sei que vou ser a pessoa que sempre sonhei ser. (!)

Bom dia *

E foi no teu abraço que deitei a minha tristeza, assim que a noite se pôs. Foi nessa ausência de luz e calor que me rendi, a ti…

Foi o pânico que tomou conta de mim, mas o teu olhar conseguiu acalmar a minha respiração, os meus medos…o teu olhar que lê cada gesto e pensamento meu. Mas fecho os olhos, não para que não me vejas o interior, mas para que sintas…quero que sintas o quanto preciso do teu abraço, do teu colo, do teu beijo, do teu carinho…

Escreve na minha pele as tuas histórias com as pontas dos dedos, não precisas de me contar…não precisas de te expor, apenas preciso que te mostres presente…não divagues nem te preocupes com pormenores fúteis, este momento é nosso, teu e meu, que assim seja, que assim fique.

Enquanto eu ali estiver, perdida nos lençóis no aconchego da cama, hei-de encontrar sempre o meu espaço seguro no teu peito…esse peito que já aguentou as minhas lágrimas e os meus sorrisos, as minhas inseguranças e os meus desabafos…nele me encontro sempre, por mais perdida que esteja.

É nesse peito que me encosto e tento descansar os meus problemas, e com toda a calma do mundo te oiço dizer-me “Boa noite”…nem dou por mim a adormecer, a batida do teu coração embala-me e canta-me uma melodia que me resguarda e me envolve em sonhos que nem eu sabia ser capaz de ter.

Passa a noite, perco-me nessa segurança que me dás e consigo parar de pensar em tudo que normalmente me inquieta e não me deixa descansar…aproveito cada segundo para interiorizar esse momento, o momento em que os teus braços me envolvem e não me deixam cair em pesadelos, o calor do teu corpo e o teu respirar no meu pescoço deixam-me livre, livre dos meus medos e receios…

Toca o despertador, eu já estou acordada a admirar-te…acordas e trocamos olhares, com um sorriso me dizes “Bom dia”, com outro te respondo:

“Bom dia minha alegria”

 

Tempo…

Hoje olho para a vida como já olhei um dia,

Sinto a chuva a bater na janela, mas o som parece diferente…

Quando o sol abre, o seu calor é diferente…

Hoje acordo e sinto-me diferente…

Acordo e sinto-me fraca, sinto-me inútil,

Sinto que por ti não há muito que possa fazer…

Sinto o que já senti um dia, e dói…dói muito…

Quando adormeço tento convencer-me que vai ser diferente,

Que vou ter força e que vou sorrir por ti quando tu não conseguires…

Mas quando acordo sinto-me impotente, sinto-me triste.

Sei que não é correto pois não é isso que precisas,

É a minha e a nossa força que vai fazer diferença,

É o enfrentarmos cada situação nova deste pesadelo de cabeça erguida,

É isso que vai marcar uma etapa difícil, incerta…

Uma incerteza que de certa forma me acalma o espirito,

Dá-me uma réstia de esperança, que cresce…por ti…

Porque te conheço e conheço a tua força

Sei que a força não te vai faltar, mas se faltar eu vou estar ali pronta para te amparar…

Tudo o que me deste vou ter oportunidade de retribuir,

Sorrindo todos os dias, agradecendo cada dia que acordas…

Cada dia que o sol nasça e tu estejas presente,

Vou abrandar o tempo e aproveitar, pois o tempo é tão curto…

A música já não chega para ocupar-me a mente,

Os nós que tenho no estomago teimam não sair…

Mas isto tem que passar,

Porque hoje quem importa és tu e como passas cada dia,

Vou deixar de preocupar-me com o futuro e de pensar porque faz-me mal…

Faz-me perder tempo a pensar em algo que não posso controlar,

Posso controlar sim a forma como aproveito o tempo,

Para te dizer o quanto és forte,

Para te mostrar como um sorriso faz diferença,

Para te mostrar que o meu abraço pode não apagar os problemas,

Mas faz esquecer por uns segundos que eles existem…

Hoje é um dia diferente, porque apesar de todas as incertezas

Tu ainda estás aqui, e é só isso que hoje me importa.

Carta a um estranho

Querido Estranho,

Mal sabia eu que ía conhecer-te, sequer que algum dia ía falar-te, que algum dia iria olhar-te e sentir que te conhecia. Não te olhei apenas como um estranho, nesse primeiro dia que te vi, olhei-te com olhos de ver e falei-te com coragem de me ouvires. Sabia lá eu que também me ías olhar quanto mais ouvir-me…

Tu que eras um estranho, despertas-te algo em mim…estranho…vontade de descobrir, vontade de te conhecer, vontade de me entregar, vontade de não te deixar fugir.

Ainda eras um estranho quando eu senti que não devia deixar-te ir, não devia largar-te a mão, devia dizer-te o quanto queria que ficasses..estranho…

Não seria mais estranho se no dia seguinte não fosses mais que isso, mas perdi-me com um estranho…deixei-me ir…e nesse dia seguinte senti um pouco mais de ti.

Agimos como dois estranhos, falamos como dois estranhos, mantivemo-nos como só e apenas dois estranhos.

A vontade de te conhecer, sim, conseguiste isso de mim…essa vontade fez com que me prendesse a ti…com que me prendesse às tuas palavras e aos teus devaneios, e que bem que me fez confiar num estranho…

Nunca me senti tão perdida, mas tão certa de que um dia, mais estranho não serias. Tudo o que me mostravas e ensinavas fazia-me pensar sobre tudo o que desacreditei…

A ti estranho, pedi tempo, pedi paciência, porque eu sabia que um dia deixarias de ser um estranho…Agradeci-te por tudo, não só pelo que fizeste, mas também pelo que és…um estranho…

Tanto pensei, que me calei, a confusão era tanta que não sabia por onde seguir, não sabia como reagir às palavras fortes de um estranho que sabia como me inquietar.

Foram mais as vezes que me fiquei pelo pensamento, pois pensei não ter o dom da palavra contigo…foram várias as vezes que te escondi estranho, aquilo que realmente sou…

Porque confesso que era estranho, sentir à vontade contigo estranho, assustava-me de como conseguias fazer as minhas ideias fluir que tinha medo de reagir. Mas assim que comecei a perceber, que aos poucos deixavas de ser um estranho, que a tua vontade de dar-te a conhecer era semelhante à minha ganhei coragem e comecei a guiar-te…

Guiei-te pelos meus caminhos, dei-te a chave da minha confiança, dei-te os meus segredos, dei-te a conhecer um pouco da minha personalidade. Não digo que já não tenha medo, porque por vezes caio nos meus pensamento mas…como já pouco me és estranho há algo que se eleva a tal sentimento…

É um caminho de incerteza que estou a percorrer, mas é por ti estranho…porque me mostras o quanto és diferente, e me fazes sentir o quanto és especial…Agora és meu confidente, amigo e…de certa forma continuas um esranho.

Assim quero que seja, porque aos poucos quero descobrir-te, quero um dia saber o teu nome como já sei algumas das tuas qualidades e defeitos…agora já não me assusta esta aproximação. Estive perdida, e do nada tu estranho, deste-me um novo sentido…

Acordo todos os dias a pensar se é hoje que vou voltar a ver o teu sorriso, esse sorriso que já não faz de ti tão estranho…um sorriso que aprendi a cativar…

Hoje sou-te sincera quanto a mim, quanto ao que me arde por dentro…

Hoje digo-te estranho,

Estranho seria, depois de tudo isto, não ter-me apaixonado por ti.

Serás tu?

E se fores tu a esperança? Se fores tu a razão da minha força? Se fores tu aquilo que não procuro mas estava destinado encontrar?

Se fores tu, vais fugir ou vais ficar? Percebo a responsabilidade, não sou de todo um enigma fácil, nem tão pouco uma personalidade exposta…

Se fores tu, terás que descobrir, terás que fazer-me confiar, terás que fazer-me acreditar que és tu e só tu…

Se fores tu hei-de perceber que és só tu quem desejo, se assim for vou perceber no teu olhar (e no meu respirar) que és tu…vou perceber que tens de ser tu…por seres especial e por conseguires de mim o que ninguém consegue, o que não deixo que ninguém consiga…

Se realmente fores tu eu vou exigir de ti o que preciso e o que tenho direito, porque se eu perceber que existes apenas tu eu vou dar-te tudo o que me pedires, tudo o que não me pedires…

Serás tu? Quero usar-te e deixar que me uses, não quero cair no lamechas e que tudo seja carinho…vou dar-te o meio-termo da paixão.

Porque agora posso precisar que me afagues o rosto, mas mais logo no cair da noite posso precisar que me fales coisas obscenas ao ouvido…

Quero esse carrossel, quero que sejas tu a levar-me numa viagem sem destino, quero perder a noção do espaço e deixar que me guies! (Quero perder-me e encontrar-me várias vezes…)

Serás tu que consegues saciar o meu desejo? Que consegues fazer com que o meu corpo responda ao toque? Serás tu que com um abraço me serenas a alma e com um beijo me aceleras a pulsação?

Serás tu que me arrancas as palavras que nunca disse, que nunca pensei ter coragem de dizer? Será que vais despertar em mim o que pensei estar adormecido?

Decerto, a esta altura já sabes responder a todas as perguntas…mas agora responde-me à única que me interessa…

– Serás tu? –

Heróis

Por vezes o mundo vira-nos as costas,

faz-nos cair de joelhos no chão,

faz-nos temer pela nossa vida e pela nossa felicidade,

mas quando a coragem supera o medo

levantamo-nos com os joelhos ainda em ferida,

voamos em direção ao céu

e aí nos apercebemos que dentro de cada um de nós

há sempre um herói que combate contra as forças negativas

e é esta luta que travamos todos dias,

uns dias saimos vitoriosos outros não,

mas como todos os heróis resta sempre um bocadinho de força

E vingamos o que não vencemos hoje vencendo amanhã…

Addicted

Onde estava a tua criatividade

Eu apenas vi infantilidade

Depois de todo este tempo chegam-se a sentidos opostos

Não fui um brinquedo que encontraste perdido na rua

Fui e serei tudo aquilo que te dei e muitas vezes sem resposta…

… Podes virar as costas e agir com gestos mudos

Tenho a certeza que no fundo te toca a verdade nua e crua

O teu silêncio define a cobardia

Aquela que me mostraste noite e dia…

Ainda bem que vi todos os sinais

Não vou seguir caminhos comuns se não somos iguais…

A vida é dura e o tempo não pára

Mas eu sinto, digo e ajo como penso

Mesmo temendo que por vezes possa estar errada

Pelo menos sou-me fiel

Sou quem sou e assumo as minhas consequências

Não vivo num carrossel

Que muda de acordo com as convivências…

Tenho os meus sonhos e as minhas crenças

Andei cega por uns tempos

Fui digerida por certas doenças

A cura era tão fácil só eu não a queria ver

Consumidora compulsiva, agarrada a esse calor

Que se afastava de mim sempre que me sentia a tremer

Arrastei esse gosto, essa ânsia de ter

Tudo aquilo que não via mas sonhava viver…

Viciada numa dor que só eu não sentia

Até chegar ao limite onde não vi uma saída…

Cortar o mal pela raiz pode parecer complicado

Mas no fundo percebemos

Que um pouco de nós também estava lá enterrado

Por uns tempos não me senti completa

Mas nunca me faltou força e vontade

De voltar a encontrar um caminho

Onde eu sei e tenho a certeza que não vou do lado errado…

Na minha alma flutuam notas musicais

E dentro de mim escreve-se um novo tema

Uma melodia suave mas intensa

Mas é apenas minha e é só isso que interessa

Para palavras diferentes até tínhamos significados semelhantes

Mas quando as frases perdem o sentido

Qualquer coincidência parece insignificante

Não me venhas falar como se tivesses sentimentos

Pois foste tu que não viveste todos os momentos

Depois de todas as lágrimas caídas

Não vou engolir mais as tuas balas perdidas…