Tempo…

Hoje olho para a vida como já olhei um dia,

Sinto a chuva a bater na janela, mas o som parece diferente…

Quando o sol abre, o seu calor é diferente…

Hoje acordo e sinto-me diferente…

Acordo e sinto-me fraca, sinto-me inútil,

Sinto que por ti não há muito que possa fazer…

Sinto o que já senti um dia, e dói…dói muito…

Quando adormeço tento convencer-me que vai ser diferente,

Que vou ter força e que vou sorrir por ti quando tu não conseguires…

Mas quando acordo sinto-me impotente, sinto-me triste.

Sei que não é correto pois não é isso que precisas,

É a minha e a nossa força que vai fazer diferença,

É o enfrentarmos cada situação nova deste pesadelo de cabeça erguida,

É isso que vai marcar uma etapa difícil, incerta…

Uma incerteza que de certa forma me acalma o espirito,

Dá-me uma réstia de esperança, que cresce…por ti…

Porque te conheço e conheço a tua força

Sei que a força não te vai faltar, mas se faltar eu vou estar ali pronta para te amparar…

Tudo o que me deste vou ter oportunidade de retribuir,

Sorrindo todos os dias, agradecendo cada dia que acordas…

Cada dia que o sol nasça e tu estejas presente,

Vou abrandar o tempo e aproveitar, pois o tempo é tão curto…

A música já não chega para ocupar-me a mente,

Os nós que tenho no estomago teimam não sair…

Mas isto tem que passar,

Porque hoje quem importa és tu e como passas cada dia,

Vou deixar de preocupar-me com o futuro e de pensar porque faz-me mal…

Faz-me perder tempo a pensar em algo que não posso controlar,

Posso controlar sim a forma como aproveito o tempo,

Para te dizer o quanto és forte,

Para te mostrar como um sorriso faz diferença,

Para te mostrar que o meu abraço pode não apagar os problemas,

Mas faz esquecer por uns segundos que eles existem…

Hoje é um dia diferente, porque apesar de todas as incertezas

Tu ainda estás aqui, e é só isso que hoje me importa.

Heróis

Por vezes o mundo vira-nos as costas,

faz-nos cair de joelhos no chão,

faz-nos temer pela nossa vida e pela nossa felicidade,

mas quando a coragem supera o medo

levantamo-nos com os joelhos ainda em ferida,

voamos em direção ao céu

e aí nos apercebemos que dentro de cada um de nós

há sempre um herói que combate contra as forças negativas

e é esta luta que travamos todos dias,

uns dias saimos vitoriosos outros não,

mas como todos os heróis resta sempre um bocadinho de força

E vingamos o que não vencemos hoje vencendo amanhã…

A tempestade

As previsões meteorológicas não são as melhores, espera-se chuva e vento…o frio já nem se fala pois tem sido a companhia das almas vazias…

O frio tem invadido o interior daqueles cujo coração não tem dono, aqueles que não têm quem lhes dê

um abraço quente (tão quente que nos aquece por dentro). Serão eles infelizes, incompletos, ou simplesmente encontraram a sua forma de lidar com a tempestade que lhes invade o peito quando o frio parece mexer com as nossas entranhas?

Que ideia é esta que criaram em nós (?), que para sobreviver temos de encontrar-nos noutra metade, que não somos um todo até descobrir (ou deixar que nos descubram) aquela pessoa que pensa, fala e age de acordo com os nossos ideais…

Dizem-nos e fazem-nos acreditar que precisamos de alguém para conseguir sair à rua quando o vento sopra demasiado forte, que apenas com uma mão a agarrar-nos firme conseguimos enfrentar os tornados que nos enchem o pensamento.

Em tempos acreditei, nessa tal ideia que todos teimam seguir…mas como sempre fui diferente, quer dizer, fizeram-me pensar diferente…desta vez deixei que me ensinassem…acreditei noutros pontos de vista.

Apesar da vida me ter dado experiência, ainda há que saber pôr o orgulho de lado e saber que ainda temos muito (mesmo muito) por aprender! Desta vez deixei que me guiassem, ouvi em vez de falar, pensei em vez de fazer pensar…

Hoje estou diferente porque agi diferente, porque ouvi e deixei que cuidassem de mim…hoje aprendi que para algum dia me sentir completa ou para ser capaz de dar a metade de mim que (por vezes) está vazia tenho de conseguir andar na chuva sozinha e enfrentar o mau tempo em vez de fechar-me em casa a olhar pela janela à espera que passe…

Aí sim, vou ser completa e conseguir completar alguém…duas pessoas que aprenderam a andar na chuva, e agora juntos vamos dançar nela, vamos encontrar-nos no meio da tempestade e sentir o vento a bater-nos na cara(e sorrir), vamos sentir o frio a penetrar nos ossos mas agora(…) nada disso parece demasiado para aguentar, porque um dia já fomos almas vazias e aprendemos a aquecer o nosso interior com a força de vontade, não na crença de que algum dia alguém nos iria completar mas sim que no meio de tanta confusão alguém iria ver o quanto passamos mas ainda assim continuamos de pé.

Por isso almas sozinhas, não desesperem, lidem com o frio (sozinhas) mesmo quando este parece insuportável, pois um dia, toda essa luta vai ser recompensada…

É nesse caminho da paciência e da espera, que nos encontramos, e depois alguém nos encontra…e aí sim, aquele abraço não só aquece, aquele abraço não é apenas um abraço, aquele abraço simplesmente nunca se esquece…